quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Relaxe ...


               
                 


                              Exercício de Relaxamento

Vá a um lugar mais sossegado, de preferência com pouca luz e silencioso.

Deite-se no chão, de barriga pra cima.

Estique seu corpo inteiro, fazendo um alongamento, como se estivesse se espreguiçando.

Comece a respirar profundamente e desvie seus pensamentos dos problemas do dia-a-dia.

Aos poucos vá tencionando e relaxando cada parte do seu corpo começando pelos pés (retese-os e depois os relaxe), passando pelas canelas, joelhos, coxas, pélvis, barriga, peito, braços, pescoço, cabeça. Sinta nisso cada músculo do seu corpo, cada nervo no começo tenso, agora relaxando.

Repita até que você sinta seu corpo todo relaxado.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Upanishad





Que a tranquilidade desça sobre os meus membros.

Que todos os meus sentidos se tornem claros e fortes.


Que os meus ouvidos ouçam o que é bom.

Que os meus olhos contemplem o divino.


Que o divino se revele a mim.

Upanishad

UMA REFLEXÃO SOBRE O YOGA



Por Carlos Eduardo G. Barbosa
Para quem acredita que yoga é um tipo sofisticado de exercício corporal, fica aqui uma breve reflexão sobre o que, na verdade, é praticar Yoga:

Ter uma identidade pessoal que para os Hatha Yoguinas é Shiva dentro de nós. Isto significa que ele deve ser autêntico, em seu comportamento.

 O Yogui pensa com sua própria cabeça e observa o mundo por sua própria perspectiva. Ele busca identificar-se consigo mesmo (svarupam).

 Essa identidade dá a ele o modo peculiar pelo qual ele percebe o mundo.

Ser livre para se expressar. O Yogui não tem vergonha nem medo de se expor com transparência, pois nada tem a ocultar.

 Ele é aquilo que é. Essa afirmação de sua individualidade faz alguns yoguinas paracerem um tanto exóticos, imorais ou rebeldes. Mas eles são autênticos.

Ser livre para fazer. O Yogui não encontra barreiras para a sua ação.

É uma contradição o Yogui que não realiza alguma ação prática. O Yoga não é teoria, mas pura realização. Ser Yogui é acima de tudo ser útil.

Não evoluir, mas revelar a perfeição. A doutrina do Yoga se baseia no fato de termos a perfeição já presente dentro de nós.

 Nossa tarefa é apenas a de realizarmos a sadhana que é a revelação dessa perfeição. Cada um de nós é Shiva, e Shiva é o Adinatha, o mahasiddha - o Senhor supremo e o maior dos perfeitos. E Shiva somos todos e cada um de nós. 

Na concepção do yoga, não há ninguém inferior nem superior, melhor ou pior, mas apenas pessoas cuja perfeição apenas aguarda para ser posta em prática.


Fonte :Por Carlos Eduardo G. Barbosa

Surya Namaskar (Saudação ao Sol)



O Surya Namaskar é uma seqüência dinâmica de 12 asanas que representam as 12 posições do zodíaco (doze posições do relógio). A respiração é sincronizada com os movimentos. 

Cada posição tem um significado que deve ser compreendido e acrescido à prática. Durante a execução, em cada asana um mantra é recitado. 

Dependendo do que se pretende desenvolver, pode-se executar com maior ou menor rapidez e o mantra pode ser apenas o Bija Mantra acrescentando o mantra até o mantra completo.

 O Surya Namaskar energiza todos os chakras, mas especialmente o Manipura Chakra.
Pode ser praticado a qualquer hora do dia, mas especialmente ao nascer do Sol.

A trindade hindu Brahma, Vishnu e Shiva simbolizam três aspectos da vida: criação, manutenção e destruição e estão diretamente relacionados com o movimento diário do Sol.

 Brahma, o criador, é simbolizado pela madrugada e ao momento em que o sol nasce e começa o ciclo diurno. 

Vishnu, o mantenedor é simbolizado pela luz do dia e especialmente a luz do meio dia. 

Shiva, o destruidor, é simbolizado pelo pôr-do-sol. Ainda que o sol se esconda para nós, isso é uma ilusão, pois o sol continua brilhando, ele é sempre brilhante assim como nosso Ser, que é consciência que é sempre existente.




Mantras

1 - Om Hraam Mitraaya Namah - Saudação ao que é o meu amigo eterno
2 - Om Hroum Khagaaya Namah - Saudação ao que é o fonte de vida no céu
3 - Om Hrum Suryaaya Namah - Saudação ao que é fonte de actividade e  luz
4 - Om Hraim Bhaanave Namah - Saudação ao que é fonte eterna de calor
5 - Om Hrim Ravaye Namah - Saudação ao que brilha e é fonte de vitalidade
6 - Om Hraha Pooshnena Namah - Saudação ao que alimenta e dá força
7 - Om Hraam Hiranya-Garbhaya Namah - Saudação à fonte de energia dourada
8 - Om Hrim Marichaye Namah - Saudação ao senhor da madrugada e vibração
9 - Om Hrum Aadityaya Namah - Saudação ao filho de Aditi
10 - Om Hraim Savitre Namah - Saudação à fonte de Tudo
11 - Om Hroum Arkaya Namah - Saudação à fonte da essência da vitalidade
12 -  Om Shri Savitur Suryanarayanaya Namah - ...






Exercício simples para começar a Meditar:


Um dos exercícios mais simples é observar a respiração. Sinta o ar entrando e saíndo pelas narinas. Acompanhe seu caminho por todo o corpo. Repare nos movimentos da barriga, do peito. Veja se há movimentos ou sensações na pelve, pernas, cabeça, etc. Esteja com o ar o tempo todo.


Quando estiver em contato com a natureza, sente-se diante de uma paisagem e observe-a. Ouça os sons, veja as cores, sinta os aromas mas não fique dando nome às coisas ou analisando-as: "esse cheiro deve ser daquela flor", "como é bonita a forma daquela montanha", "o som desses passarinhos me deixa tão relaxado...". Apenas ouça, veja e sinta sem criar frases na sua mente, sem ficar tagarelando internamente.


Sente-se diante de uma janela e deixe que a claridade invada seu corpo. Sinta a luz penetrando pelo alto de sua cabeça e fluíndo por todo o corpo. Mantenha sua atenção nesse fluxo.