quarta-feira, 9 de abril de 2014

O significado da palavra Namastê

    
                                NAMASTÊ A TODOS!

A palavra  NAMASTÊ  tem um significado lindo e profundo é o cumprimento que deve vir do coração desejando o melhor ao outro. 
               
A palavra NAMASTÊ é o cumprimento em sânscrito que literalmente significa “Curvo-me perante a ti”.
NAMAS (reverenciar, saudar, curvar-se)
TE (ti).


Namastê é a forma mais digna de cumprimento de um ser humano para outro.

Expressa um grande sentimento de respeito.

Invoca a percepção de que todos nós compartilhamos da mesma essência,da mesma energia, do mesmo universo.

Namastê possui uma força pacificadora muito intensa.

Em síntese é “Saúdo a você, de coração”! e deve ser retribuído com o mesmo cumprimento.

O Deus que habita em mim saúda o Deus que habita em você.




O Deus que há em mim saúda o Deus que há em ti.

O Espírito em mim reconhece o mesmo Espírito em você.

A minha essência saúda a sua essência.

As pessoas que trocam indiferença, desconfiança ou ódio, são pessoas que esqueceram que Deus habita cada ser.

Conhecido pelos budistas como Anjali Mudra, consiste no simples ato de pressionar as palmas das mãos ante o coração e os dedos apontando para cima, no centro do peito.

Inclina-se levemente a cabeças em ser acompanhado de palavras.

Frequentemente fecha-se os olhos, para então curvar-se a coluna, em sinal de respeito à divindade que preenche todos os espaços do universo.

A coluna retorna à posição ereta mais lentamente do que quando abaixou, também simbolizando respeito à outra pessoa.

Os cinco dedos da mão esquerda representa m os cinco sentidos do coração, enquanto os dedos da mão direita representam os cinco órgãos da razão.

Significa então que mente e coração devem estar em harmonia, para que nosso pensar e agir estejam de acordo com a Verdade.

Também é um reconhecimento da dualidade que existe no mundo, simbolizando a união das polaridades, esquerda e direita, bem e mal e sugere um esforço de nossa parte para manter essas duas forças unidas em equilíbrio.

Dez dedos unidos no Namastê.
O número dez é símbolo da perfeição, da unidade, do equilíbrio perfeito.
Os dez Mandamentos
As dez emanações da Árvore da Vida,
Os dez vértices da estrela de Pitágoras.
A Parábola dos Dez Talentos (Mt,25)
Toda a criatura é um reflexo dos Dez Atributos Divinos:
Apego,
Bondade,
Conhecimento,
Entendimento,
Esplendor,
Harmonia,
Perseverança,
Realeza,
Sabedoria,
Severidade.

Namastê traz o Sagrado para dentro de cada ser humano, afirmando que Deus não está no céu, num templo ou mesmo na natureza.

Deus está em tudo, em cada um de nós e qualquer dissociação da imagem do divino da nossa é inútil.

Ao fazer o Namastê, afirmamos que todos somos filhos e partes do Sagrado, indissociáveis e iguais.

A palavra Namastê (pronuncia-se Namastê) é composta de duas palavras sânscritas: Nama (reverência, saudação) e Te, que significa você.

 Em síntese é saúdo a você, de coração, ao que deve ser retribuído com o mesmo cumprimento. 

Pelos meios esotéricos acabou ganhando o significado floreado de "O Deus que habita em mim saúda o Deus que há em você".

O gesto do Namastê, conhecido pelos budistas como Anjali mudra, consiste no simples ato de juntar as palmas das mãos ante o coração (ou mais precisamente o chakra do coração), e inclinar levemente a cabeça. 


Metaforicamente, os cinco dedos da mão esquerda representam os cinco sentidos de karma, enquanto os da direita representam os cinco órgãos do conhecimento. 

Significa então que mente e coração devem estar em harmonia, para que nosso pensar e agir estejam de acordo com o Dharma.

 Também é um reconhecimento da dualidade que existe no mundo e sugere um esforço de nossa parte para trazer essas duas forças unidas em equilíbrio.

Contando os dedos, um total de dez é alcançado. O número dez é símbolo da perfeição, da unidade, em todas as tradições antigas.

 As dez Sephiroth na Árvore da Vida, os dez Mandamentos, o símbolo da criação no sistema de Pitágoras e o número do equilíbrio perfeito para os antigos Chineses.

A mitologia por trás deste gesto é no mínimo curiosa: conta-se que o Deus Krishna escondeu as roupas de algumas garotas que se banhavam no rio Yamuna. 

Elas suplicaram de todas as formas a ele para devolvê-las, mas Krishna permaneceu irredutível (sacana, não?). 

Somente quando elas fizeram o gesto do Namastê é que ele ficou satisfeito e devolveu as roupas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário